Para contextualizar o método da Análise Psico-Orgânica, criada por Paul Boyesen, é necessário se referir inicialmente à Psicologia Biodinâmica, fundada por Gerda Boyesen. Ao longo dos anos 60, num quadro teórico e prático neo-reichiano, o trabalho da biodinâmica se desenvolve focalizando a abordagem da psique através do trabalho orgânico. O trabalho de Gerda consiste em favorecer, através de massagens apropriadas, um relaxamento profundo e intensificar a fase parassimpática do ciclo energético. Ela cria o conceito de psicoperistaltismo, que se refere à digestão e dissolução do acúmulo de resíduos de estresse no organismo, permitindo assim que uma nova circulação se coloque em ação.
O trabalho de Gerda Boyesen, privilegiando a abordagem pelo corpo, levou seu filho Paul Boyesen, no final dos anos 70, a ampliar a proposta da biodinâmica, aliando intimamente o trabalho corporal ao analítico. As palavras, o discurso do sujeito e as imagens, a produção de imagens, serão instrumentos terapêuticos fundamentais, integrados ao trabalho orgânico.
A Análise Psico-Orgânica procura as ligações entre a linguagem verbal (o significado da experiência emocional), a produção de imagens (acesso ao universo simbólico) e a experiência energética, sensorial.
É uma busca constante de transitar do verbo ao corpo, do corpo ao verbo, percebendo de que forma ocorrem os bloqueios ao longo destas passagens, como é possível liberar a energia estagnada e fixada para estabelecer uma melhor circulação entre essas diferentes instâncias.

Silvana Sacharny

Saiba mais:
Conheça o Centro Brasileiro de Formação em Análise Psico-Orgânica (CEBRAFAPO)
Conheça a escola francesa: École Française d’Analyse Psycho-Organique (EFAPO)